Top

Quais são as diferenças entre Scrum, Ágil e Kanban? Como usar na gestão de projetos?

Scrum ágile kanban

Quais são as diferenças entre Scrum, Ágil e Kanban? Como usar na gestão de projetos?

Como diria aquele filósofo: “uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa!”

Você já ouviu falar nesses termos: metodologia ágil, scrum e kanban? Talvez sim, talvez não. Mas você sabe mesmo, de verdade, o que significam?

Porque não tem nada mais chato que chegar em uma reunião e descobrir que está totalmente por fora do assunto, quando alguém saca umas palavrinhas como essas…

Independentemente de você conhecer bem, só de ouvir falar, ou se são um completo mistério para você, este post vai te ajudar a descobrir a diferença entre cada uma delas – kanban, ágil e scrum – e como usar em seus projetos.

O manifesto ágil

Apesar da metodologia kanban ter uma origem anterior (que explicaremos mais adiante), ela está incluída entre as técnicas ou métodos de se desenvolver projetos ágeis.

Podemos dizer que o método ágil seria um “guarda-chuva” sob o qual se encontram o scrum, o kanban e outras metodologias, com a lean, por exemplo.

O manifesto ágil foi criado por desenvolvedores de softwares que estavam cansados de trabalhar sob regras corporativas rígidas e engessadas que estavam travando sua criatividade e tornando o processo burocrático e previsível.

Por isso, criaram o manifesto para o desenvolvimento ágil, que prega 4 premissas que estabelecem o que deve ser realmente valorizado em sua atividade:

  1. Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas
  2. Software em funcionamento mais que documentação abrangente
  3. Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos
  4. Responder a mudanças mais que seguir um plano

Apesar de ter sido originalmente criado para o desenvolvimento de softwares, o conceito foi adaptado e evolui para o desenvolvimento de qualquer tipo de produto ou serviço.

O segredo está em manter o foco nas necessidades dos clientes, testar cada etapa de evolução do projeto e fazer mudanças, se necessário, para só então dar mais um passo e acrescentar mais uma melhoria ao produto ou serviço em desenvolvimento.

O método kanban

Criado pela Toyota nos anos 60, no Japão, para gerenciar os estoques de empresas automobilísticas, o kanban é um processo visual baseado em quadros com lista de tarefas.

O que antes funcionava apenas para fazer o estoque fluir sem interrupções nem excessos, hoje é usado como modelo para que um workflow – um fluxo de tarefas – também flua sem interrupções ou gargalos.

A metodologia prega que se use um painel kanban, que pode ser um quadro físico ou virtual (por meio de um software), dividido em colunas que representam as etapas de um processo.

Assim, o mais simples dos quadros kanban pode conter 3 listas: “Tarefas”, “Em Andamento” e “Concluídas”.

Por meio de cartões (kanban significa cartão ou sinal, em japonês), as tarefas que devem ser realizadas são descritas, indicadas suas datas de entrega e os responsáveis por elas, entre outras informações.

Assim, cada colaborador se dirige ao quadro, verifica na lista “Tarefas” o que ele deve fazer e, em seguida, coloca este cartão na lista “Em Andamento”.

Quando terminar, muda o cartão para a lista “Concluídas” e vai pegar uma uma nova tarefa na primeira lista.

A vantagem do método kanban é que com uma olhada rápida no quadro é possível saber quantas tarefas estão sendo executadas, quais estão aguardando para serem cumpridas e quais já foram concluídas.

Além disso, podem ser usados cartões coloridos indicando clientes, funcionários, tipos de tarefas ou outras características, o que facilita ainda mais o gerenciamento de um projeto.

Atualmente, os quadros kanban contém muito mais listas, especificamente criadas para os projetos que vão gerenciar, e podem incluir colunas como “em revisão”, “no cliente”, “testando” etc.

É possível criar quadros kanban para o gerenciamento ágil de marketing, de desenvolvimento de produtos, de gestão de equipes e muitos outros.

Scrum

Scrum é um esquema prático para a implementação da metodologia ágil que segue toda uma série de rituais e define funções específicas com o objetivo de se seguir suas regras sem desvios.

Ele busca a evolução constante focada nos interesses do cliente final, com aprendizado contínuo e desenvolvimento incremental das funcionalidades do produto ou serviço.

Os principais elementos da metodologia ágil scrum são:

  • Dono do produto que está sendo desenvolvido: é o guardião dos interesses dos usuários finais.
  • Scrum master: um expert na metodologia que garante que o método será seguido à risca.
  • Sprints: uma sequência de tarefas que não sobrecarregam a equipe e que devem ser concluídas em um tempo determinado.
  • Daily scrum: reunião diária da equipe para se informarem sobre o andamento do projeto.
  • Retrospectiva: ao final de cada Sprint a equipe se reúne para analisar seu desempenho, progressos e aprendizados.

Ficou claro para você as diferenças entre ágil, kanban e scrum?

Lembre-se, em todas elas o importante é se manter fiel às necessidades do cliente e fazer o fluxo de tarefas fluir sem interrupções desnecessárias.

Este post foi escrito pela equipe do Trello, uma ferramenta que tem tudo o que você precisa para organizar projetos e equipes de qualquer tamanho.

Sem comentários

Comentar